Encontro: White Martins e Porto Seguro compartilham experiências sobre os desafios e resultados das plataformas digitais

Júlia Lomba, gerente de comunicação institucional da White Martins, Rodrigo Alberti, coordenador de comunicação, e Isaac Trabuco, analista de comunicação da Porto Seguro, trouxeram um novo olhar sobre as formas de conectar pessoas e conduzir negócios

Como impactar positivamente o público interno e transformar conteúdo em engajamento? Se os canais e ferramentas disponíveis para comunicação com colaboradores não param de trazer novidades, este continua sendo o grande desafio encarado por profissionais de Comunicação Interna hoje – e há muito tempo.

De olho nestes desafios e no fortalecimento das empresas como marcas empregadoras, as plataformas digitais ganham cada vez mais espaço nas estratégias da área. Além de serem pontos de convergência para as necessidades de nossos tempos, essas tecnologias possibilitam também novas formas de comunicar, conectando pessoas e dando aos colaboradores o protagonismo das estratégias e ações da empresa.

Para dividir com seus clientes algumas das tendências mais relevantes desse cenário, a Wide convidou duas empresas a compartilharem seus cases do uso de plataformas digitais como soluções de comunicação. Com perfis e aplicações distintas, ambas mantêm em foco o olhar da conexão e das possibilidades de uma comunicação mais humana, mesmo no universo digital.

Na terceira edição do nosso Encontro, a dupla Rodrigo Alberti e Isaac Trabuco, da Porto Seguro, compartilhou os processos e desafios de transformar, após 50 anos impressa, a revista Nosso Porto no formato digital, carregando nessa transição todos os atributos e diferenciais que a interatividade permite no ciberespaço. O projeto foi amadurecido e desenvolvido em 2019, depois de pesquisas e encontros realizados com os funcionários da empresa.

Do toque no papel ao touch screen

“Na Porto nós temos muito cuidado com as pessoas, então a gente não queria virar a chave do impresso para o digital sem ouvi-las. Além disso, não queríamos lançar a revista repaginada do jeito que a gente achava que ela deveria ser, mas do jeito que as pessoas gostariam de ver”, conta Rodrigo.

Com versão web e responsiva ao mobile, a revista é aberta ao público, traz uma linguagem mais próxima da internet e do hábito de consumo de conteúdo no social, e explora os principais recursos que o digital possibilita. Isaac Trabuco, gestor direto do projeto dentro da Porto, conta que a interatividade e o recurso de áudio são grandes protagonistas na revista. “Todas as matérias podem ser ouvidas e há também a possibilidade de ouvir a edição completa, como um podcast, fortalecendo a acessibilidade. Este é um dos recursos mais acessados na revista. Quanto aos quizzes, foi uma decisão que tomamos de trazer para a revista para que as pessoas pudessem, além de interagir com o conteúdo, se divertir também”, conta.

Na hora certa
O lançamento da primeira edição digital da revista calhou de acontecer no início da pandemia no Brasil, e o formato ajudou a fortalecer o mote que as empresas passaram a adotar desde então a partir da conexão, do on-line.

A produção é bimestral e envolve uma grande equipe, desde a área de comunicação da Porto Seguro, um comitê formado por profissionais de diversas áreas da companhia, uma equipe de produção dedicada na Wide Digital e, claro, os funcionários protagonistas de cada edição. Rodrigo e Isaac reforçam a importância do crossmedia na divulgação da revista. “Sempre escolhemos uma matéria de destaque e reforçamos na intranet e nas TVs para que as pessoas voltem para a revista ao longo no mês”, conta Isaac. Rodrigo complementa: “utilizamos também o recurso de QR Code para facilitar o acesso. As pessoas podem acessar tanto pelo navegador quando pelo celular”, finaliza.

Interatividade amplificada na rotina corporativa

Para falar um pouco de aplicativo, a Wide também convidou a Júlia Lomba, gerente de comunicação institucional da White Martins. Ela trouxe insights sobre como conectar um público diverso e entender cada perfil dentro da plataforma. O projeto de criação da ferramenta começou em 2018 com o intuito de aumentar o timing de garantir a divulgação de notícias em tempo real e ter um maior engajamento dos colaboradores na Comunicação Interna.

“Com o aplicativo conseguimos aumentar o protagonismo dos funcionários e criamos um modelo de comunicação para ser mais integrado e convergente. Com isso, ganhamos uma otimização na rotina de trabalho e um aumento da percepção das notícias pela audiência”, esclareceu Júlia.

O aplicativo se transformou no principal veículo de comunicação na empresa e trouxe bons números com relação a engajamento, tendo uma adesão voluntária na ferramenta e aumentando a força da comunicação nas estratégias internas.

Com uma linguagem intuitiva e dividida de acordo com as áreas de interesse, o app se tornou um sucesso e trouxe um maior protagonismo aos funcionários. “Temos uma área exclusiva para conteúdos produzidos pelos colaboradores. É como se eles fossem os jornalistas da vez”, conta.

Por meio de enquetes e campanhas dentro da plataforma, eles conseguiram gerar um ponto de conexão na rotina do público interno. “O sistema de push foi um ótimo ganho para o dia a dia, ainda mais em tempos de pandemia. Estamos sempre tentando aprimorar e tirar proveito da plataforma para trabalhar os diferentes públicos”, diz.

Júlia ressalta que as plataformas geraram um maior alcance e interatividade, mas que também trouxeram mais responsabilidade para as áreas de Comunicação Interna. “Em qualquer estratégia é preciso ter um conteúdo de qualidade para melhorar o engajamento das pessoas e fortalecer a marca. O sucesso depende desse conteúdo e dos colaboradores trazendo voz a ele”, finaliza.

Comentários

{{comment.comment_author}}
{{comment.comment_date}}
{{comment.comment_content}}
Ver mais comentários

Materias Anteriores

Jorge Elias, policial civil aposentado, hoje com 64 anos, é exemplo de força e coração na luta contra a doença. Campanha Novembro azul reforça importância do exame preventivo contra o câncer de próstata, segunda doença que mais mata homens no mundo.
Conteúdo visual incentiva cada vez mais a diversidade e inclusão do negro e propõe reflexão sobre o tema
Veja algumas ideias de publicações para deixar a rede e o colaborador atualizados