Dicas imperdíveis para fortalecer a memória

Seu cérebro é uma HD incrível; aproveite sua capacidade!

Como é mesmo o nome daquela pessoa? Quando foi que aquele episódio aconteceu? Onde é que eu guardei aquele arquivo? Em nossa rotina profissional (assim como na vida), perguntas como essas são corriqueiras – e incômodas.

Nossa memória funciona como uma caixa que tem uma capacidade de armazenamento alta, mas limitada. Por isso, o cérebro tende a organizar as informações por meio de uma espécie de filtro de importância. Graças a esse funcionamento, podemos nos lembrar daquilo que é útil para nossa rotina. O resto, acaba relegado a gavetas menos fáceis de abrir.

Mas, felizmente, existem hábitos e práticas que nos ajudam a armazenar e acessar as memórias com mais facilidade. Confira abaixo, então, 6 dicas de Nelson Dellis, um premiado atleta de memória americano (sim, essa categoria existe!):

 

Exercite

Esse é um dos principais pontos: a memória é treinável. Embora o avanço da idade e a genética sejam fatores que podem prejudicar nossa capacidade de memorização, é possível manter o cérebro saudável e evitar o declínio cognitivo com exercícios específicos. Memorize a ordem de um baralho, faça palavras-cruzadas, aprenda um novo idioma… a atividade vai da sua preferência, o importante é não deixar o cérebro ficar sedentário!

 

Faça associações

Associar informações a imagens é um truque muito utilizado por atletas de memória. Isso porque nosso cérebro costuma lidar melhor com imagens do que com informação abstrata.

 

Armazene no lugar certo

Depois de criar representações visuais, é indicado “acomodá-la” em espaços comuns em nossa rotina, como nossa mesa de trabalho, nossa cama ou uma rua. Esses espaços reais servem como “palcos” para nossas cenas imaginárias. Essas associações trazem uma noção espacial que potencializa o resgate da memória.

Mexa-se

É, aquela ideia antiga que diz “corpo são, mente sã” segue atualíssima. Atividades físicas são essenciais para o pleno funcionamento cerebral, pois melhoram a função cardiovascular, aumentam o fluxo sanguíneo do cérebro, fomentam o crescimento dos neurônios e aumentam as conexões da região do hipocampo (estrutura responsável pela memória).

 

Alimente-se bem

Alimentação é um elemento importante para a memória. O indicado é manter uma dieta com alimentos ricos em ômega 3 e ômega 6 (presentes em atum, salmão e arenque), vitamina E (encontrados nos óleos vegetais e nas sementes) e ácido fólico (fornecido por feijão e fígado).

 

Sorria

Estar de bem com a vida e manter uma vida social ativa são outros elementos do estilo de vida que favorece a memória. Que tal, então, melhorarmos nosso desempenho cognitivo enquanto cultivamos amizades e bom humor?

Materias Anteriores

Algumas dicas simples para curtir o melhor do calorzão
O primeiro mês do ano é dedicado aos cuidados com a saúde mental, mas deve seguir por todo o ano
Jogo de tabuleiro voltou ao mainstream após sucesso de “O Gambito da Rainha” e pode fazer muito bem ao nosso cérebro