Bate-papo: Zurich reforça importância da confiança e empatia nesses novos tempos

Cristiane Lamonica, gerente de RH da Zurich, conta como a empresa vem fortalecendo estes temas na jornada dos profissionais e a importância da conversa honesta e transparente em todos os momentos, sobretudo na pandemia
Cristiane Lamonica (Acervo pessoal)

Adoção de modelos de trabalho alternativos, utilização de ferramentas até então pouco habituais e mudanças nas próprias relações profissionais. A pandemia impôs uma infinidade de transformações ao mundo corporativo, trazendo desafios inéditos para todos, mas com implicações ainda maiores para os responsáveis pela condução das equipes por esses novos caminhos: os líderes.

A partir da compreensão das particularidades do contexto, a Zurich, empresa global do ramo de seguros, identificou as novas necessidades e a importância de dedicar esforços especiais às lideranças na condução de suas equipes nesta nova realidade. Cristiane Lamonica, Gerente de RH, conta que a companhia agiu com rapidez e pensamento estratégico no início da pandemia, criando grupos de trabalho para lidar com as principais questões de interesse da empresa. Dois deles se juntaram em um único, dando origem ao grupo de Engajamento e Trabalho Remoto.

“Reconhecemos a importância de seguir com o acolhimento às pessoas. Primeiro, fizemos uma pesquisa com colaboradores e lideranças para tentar entender melhor como estava a situação de todos. Precisávamos ter noção de como estava o trabalho remoto, se os colaboradores tinham condições de desempenhar suas funções, mas também queríamos saber sobre o engajamento deles”, conta.

Com o feedback em mãos, o grupo implementou ações para os colaboradores e diagnosticou que os líderes ainda tateavam o caminho para desenvolver sua liderança no novo modelo de trabalho. Segundo Cristiane, uma das perguntas que moveram a atuação dos integrantes foi: “quais cuidados e ferramentas podemos oferecer para manter o engajamento da equipe e dos líderes?”.

Os profissionais buscaram respostas no passado, extraindo lições valiosas de artigos sobre liderança em crises e debatendo em reuniões os erros e acertos de quem já esteve neste lugar. Logo, descobriram que era fundamental fortalecer os laços de confiança entre líderes e suas equipes.

“A relação de confiança eu só crio quando tenho uma comunicação transparente e vejo a genuinidade das pessoas disponíveis para falar. É um processo de acolhimento”

Uma das ações implementadas que se mantém firme é uma agenda com rodadas semanais de bate-papos com executivos, trazendo pautas desde o retorno seguro aos escritórios (que é 100% voluntário) até temas relacionados aos negócios da empresa. Em todo contexto, confiança e empatia estão presentes, o que fortalece as relações tanto entre membros das equipes quanto dos funcionários e a companhia.

Materias Anteriores

Acolhida a novos colaboradores ganha destaque na estratégia de comunicação corporativa
Documento pode ser exigido em grandes eventos, estabelecimentos comerciais e entrada em países que exigem vacinação completa
Conflitos saudáveis podem fazer bem à empresa – se gerenciados corretamente pelos líderes
Usamos cookies, próprios e de terceiros, para melhorar a sua experiência de navegação. Se seguir navegando sem modificar a configuração do seu navegador, consideramos que aceita seu uso.